domingo, 28 de setembro de 2008

Kissy


hooooray 8DDD a kaky e o kakuzu parecem uns zumbis mesmu


Nara, Sozuke e Saro mais detalhadas BD~ xDD


weeee 8DDD''' lee girl \o/''' pretendu faze esse cosplay tbm u-u


auto-retrato...? O-O'' *medo d mim mesma* xD


larxene 8D


yeaaaaaaah tobi eh um menestrel agora xPP (?)


*Sem nada pra faze di novu xD*


kawaiiiiii tsuyu fez bolo pra kissy o/ (sim eh um desenho completamente random ._.

Akatsuki

domingo, 14 de setembro de 2008

Sweety

Harajuku wa, né!!!

Ziraldo, meninão malucão


Ziraldo Alves Pinto nasceu em 24 de outubro de 1932 em Caratinga, Minas Gerais. É o mais velho de uma família de sete irmãos. Seu nome vem da combinação do nomes de sua mãe, Zizinha com o de seu pai Geraldo: assim surgiu o Zi-raldo, um nome único. Ziraldo tem paixão pelo desenho desde a mais tenra idade. Desenhava em todos os lugares - na calçada, nas paredes, na sala de aula... Outra de suas paixões desde a infância é a leitura. Lia tudo que lhe caia nas mãos: Monteiro Lobato, Viriato Correa, Clemente Luz ( O Mágico), e todas as revistas em quadrinhos da época. Já nesse momento, ao ler as páginas do primeiro "Gibi", sentiu que ali estava o seu futuro. Em 1960, lançou a primeira revista em quadrinhos brasileira feita por um só autor, Turma do Pererê, que também foi a primeira história em quadrinhos a cores totalmente produzida no Brasil. Embora tenha alcançado uma das maiores tiragens da época, Turma do Pererê foi cancelada em 1964, logo após o início do regime militar no Brasil. Nos anos 70, a Editora Abril relançou a revista, desta vez, porém, sem o sucesso inicial.
Em 1969, Ziraldo recebeu o "Nobel" Internacional de Humor no 32º Salão Internacional de Caricaturas de Bruxelas e também o prêmio Merghantealler, principal premiação da imprensa livre da América Latina.
Foi fundador e posteriormente diretor do periódico O Pasquim, tablóide de oposição ao regime militar, uma das prováveis razões de sua prisão, ocorrida um dia após a promulgação do AI-5.

Em 1980, lançou o livro "O Menino Maluquinho", seu maior sucesso editorial, o qual foi mais tarde adaptado na televisão e no cinema.

Um grande artista e principalmente um humanista, Ziraldo é uma referência para os que buscam seu espaço no restrito mercado de quadrinhos no Brasil e principalmente para todos os que tem uma mente contestadora.

sábado, 13 de setembro de 2008

Fofíssima!!!!

Inuyasha

Um dos aimes mais belos veículados pela televisão brasileira, criado por Rumiko Takahashi, mistura um universo de tradições mitológicas japonesas com histórias encantadoras.
Tem Kagome e Inuyasha. Kagome é uma jovem que ao atravessar um poço, viaja para o mundo mitológico de Inuyasha,um menino metade humano metade youkai, dono da poderosa espada Tesaiga, feita de um canino de seu próprio pai (um lobo demônio gigante). Inician-se as aventuras Kagome, Inuyasha e seus amigos lutando contra youkais malignos e na procura pelos fragmentos da jóia de 4 almas!

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Jack, the pumpkin king

Srta Uchiha - Rio Grande do Sul



Konnichiwa


1975


Hayao Miyazaki

O maravilhoso diretor, criador de "A Viagem de Chihiro" e "Serviço de entregas da Kiki", entre outras obras aclamadas, Hayao Miyazaki possui o dom de perceber com profundidade a alma da criança presente em cada um de nós. Sua sensibilidade em retratar a criança, sua fragilidade, força , inocência e crença no dom da magia, faz deste diretor um verdadeiro gênio, que nos leva a querer saber de onde vem sua inspiração, de onde vem o seu dom de transformar cinema em poema? Retratos de sua própria infância, ou um velho homem que nunca deixou sua alma de criança morrer?

Apenas Jack Sparrow?

Como não admirar a interpretação e personalidade de um dos mais autenticos e excelentes atores da atual cena de Hollywood? Johnny Depp, com sua personalidade única é o ator nº 1 do aclamado diretor Tim Burton. Sempre escalado para atuar em suas obras cinematográficas, até mesmo nas de animação (a noiva cadáver).
Um ator verdadeiro, que expressa-se sem preocupar-se com rótulos ou opiniões vazias dos críticos. Inesquecível como o jovem e enigimático paciente em Dom Juan de Marco, adorável em Edward Scissorhands, é um ator que evolui maravilhosamente a cada trabalho. E o melhor de tudo: Sempre nos leva a refletir em temas importantes.
At last! My arm is complete again!

Dorothy, ou Judy Garland

Sua carreira teve início com apenas 4 anos de idade. Ela integrava juntamente com sua irmãs, o grupo das adoráveis Gumm Sisters. Seu maravilhoso talento logo foi reconhecido por Hollywood, passando a atuar em diversas produções pelo selo MGM. Ela e Mickey Rooney formavam uma dupla juvenil adorada pela América e juntos apareciam dançando e cantando em diversos filmes do gênero água com açucar.
Sua técnica e talento como atriz e cantora a consagraram em O Mágico de Oz (1939 - Victor Fleming), onde cantava divinamente Over the Rainbow, com o dom de comover o público até os dias de hoje.


Judy Garland não desaparecerá, pois era uma artista verdadeira e ainda é amada pelo público, que hoje a cultua e considera o Mágico de Oz como um dos mais belos filmes do Hollywood.



Follow the yelllow brick road!

Super Dínamo

Um dos desenhos legais que a garotada dos anos 70 podia ver no Brasil era o Super Dínamo.
Mitsuo Suwa era um garoto normal, que um belo dia foi recrutado por um alienígena (chamado Super Homem) para combater as injustiças. Se a sua identidade fosse descoberta, o Super Homem iria derreter o seu cérebro.
O Super Dínamo agia armado de seu capacete, que ocultava a sua identidade e lhe dava força, a capa que lhe permitia voar e o comunicador de prender no peito.
As histórias eram muito engraçadas, principalmente as confusões causadas pelo robô-cópia, que ficava fazendo as tarefas de Mitsuo enquanto este combatia o mal juntamente com os outros garotos dínamo, que incluíam até um macaco! (acho que este Super-Homem era meio maluco)
Go PaaMan!

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Febre "anime"

A febre dos animes no Brasil é bem anterior a Cavaleiros do Zodíaco ou Pokémon. Nos anos 80 a televisão brasileira apresentava seriados famosos como Pirata do Espaço, com os os personagens Joe e Rita a bordo da nave interestelar, que entre outros truques possuia a capacidade de transformar-se em robô gigante (mecha), muito útil na hora de encarar monstros gigantes.
Lançar bola de fogo!


Havia outos seriados, no estilo bishoujo, dedicado as meninas, como as adoráveis Angel e Honey-honey ambos no SBT e que traziam as estrepolias mágicas de suas heroínas sonhadoras lutando contra vilões pândegos.
Lili, você engoliu o Sorriso do Amazonas!

"Japão, uma viagem no tempo"

O documentário de Walter Salles de 1986 foi levado ao ar pela extinta rede Manchete de televisão e causou uma bela impressão em quem assistiu. Com a bela voz do ator José Wilker na narrativa e com a linda composição Merry Christmas, Mr. Lawrence de Ryuichi Sakamoto, mergulhou no universo histórico do Japão com suas gueixas e samurais ao mesmo tempo em que nos apresentava o cenário técnológico de Akihabara, com seus centros de pesquisa cíentifica e a feira de Tsukuba . A pujança comercial de uma das maiores economias do mundo e o amor pelas tradições e simplicidade.


Um lindo documentário, profundamente marcante.



Os amigos "otako"

A maioria realmente desconhce o significado da palavra "otako", que traduzindo do japonês, quer dizer "viciado". Porém o termo não se refere a usuários de substâncias psicoativas e sim a jovens que curtem mangá e personagens anime, a ponto de formar um novo estilo de comportamento que é o de curtir a cultura japonesa, a música (j'rock e j'pop) e sobretudo participar de eventos que reúnem "otakos" de todos os cantos, caracterizados como seus personagens favoritos.
Em Porto Alegre, diante de algumas escolas, muitos desses amigos reúnem-se logo após as aulas formando uma tribo alto astral que ouve e canta música japonesa proveniente de animes, brincam de imitar coreografias de personagens e utilizam um vocabulário próprio chamando atenção por incorporar em seu vestuário as famosas "touquinhas".
Doki doki, sayonara!

sábado, 6 de setembro de 2008

Kawaii?

O "Adorável" (a fofura) na cultura japonesa Kawaii descreve a cultura dos japoneses de usar desenhos bonitinhos em toda parte, na arte e na vida, em todas as coisas de seu cotidiano. Desde a década de 70, a doçura (可愛さ, kawaisa?) tornou-se um aspecto proeminente da cultura japonesa: no entretenimento, roupas, comida, brinquedos, imagem pessoal, comportamento, e modos de agir.

Que fofo!